segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

Crítica - Cinema e Variedades assistiu: O Jogo da Imitação


Assista ao trailer antes de ler:


Com estreia no Brasil datada de 5 de fevereiro de 2015, "O Jogo da Imitação" ("The Imitation Game") é uma cinebiografia baseada no livro do inglês Andrew Hodges, "Alan Turing: The Enigma". O filme conta os bastidores da vida de Turing, considerado hoje em dia o pai da Ciência da Computação, dentre outros importantes conceitos tecnológicos.


Ele participou de uma equipe de estudiosos em um projeto da Inteligência britânica durante a Segunda Guerra Mundial, o qual tinha como objetivo quebrar os códigos da máquina alemã chamada Enigma, que além de ser a mais avançada ferramenta criptográfica de sua época, era a base das comunicações das forças de Hitler e considerada insuperável. Turing era um jovem matemático de 27 anos de idade com uma genialidade a frente de sua época. Porém, possuía problemas de comportamento e era homossexual não assumido. Essa última condição o tornaria um criminoso perante a lei inglesa. Dentro da equipe, o mesmo era contrariado por propor um método não convencional para o problema: a construção de uma máquina para vencer outra. Além de ter que provar para os outros que era capaz de superar o desafio proposto, Turing tinha que lidar com seus problemas pessoais. A história mostra uma reviravolta que mudou os acontecimentos da Guerra e foi fundamental para a vitória dos aliados.

Christopher, o primeiro computador moderno

A proposta deste post não é dar spoilers, mesmo com o fato de o filme já ter sido lançado há quase um ano e ser baseado em fatos reais. A intenção deste texto é dizer o quanto o filme é ótimo e satisfatório, no que diz respeito a contar detalhes que existiram por trás do front de batalha da Segunda Guerra, deixando o espectador ciente de que um dos fiéis que ajudaram a favorecer a balança para as forças aliadas foi o fato de a máquina criada por Turing, chamada de Christopher, atingir o seu objetivo e superar a criptografia alemã. O filme mostra o nascimento da computação.

Pode não parecer muito empolgante este tipo de história, mas se não fosse gênios como Alan Turing, eu não teria escrito este post e você não estaria lendo-o, pois dificilmente teríamos computadores, notebooks, smartphones e tablets em pleno o ano de 2016. Turing não foi apenas um matemático com a inteligência acima da média, ele é o pai da computação moderna e acabou criando conceitos que são a base da evolução tecnológica nos dias de hoje, tais como, a máquina de Turing (estudada na  formação acadêmica da área de TI), o Teste de Turing (uma das base da Inteligência Artificial) e o Algoritmo (base dos códigos-fonte).


Só sabemos  desse fato hoje em dia, pois a inteligência britânica desclassificou os documentos atinentes ao projeto da época, que eram confidencias por ser risco tanto para soberania inglesa quanto para a dos países aliados. Infelizmente, como era homossexual não assumido, Turing foi acusado de conduta indecente e condenado a escolher entre a prisão e a castração química. Essa última foi a sua escolha.


Alan Turing faleceu em 7 de junho de 1954 e até hoje há controvérsias sobre a causa de sua morte ter sido suicídio ou envenenamento. Por pressão de ativistas da área tecnológica, de políticos e da causa LGBT, em 11 de setembro de 2009, o governo britânico pediu oficialmente desculpas pelo preconceito e conduta que levaram ao falecimento precoce de Turing.


Se com 41 anos de vida Alan Turing conseguiu impactar o campo da computação, imagine se ele pudesse ter vivido normalmente até a sua velhice? Que tipos de equipamentos teríamos hoje em dia? Não se pode esquecer esse tipo de acontecimento que, por causa do preconceito, abreviou a vida de um dos maiores gênios da Humanidade. Quantos outros seres humanos foram excluídos por causa desse tipo de fato. É um caso para se refletir.

Foto de Alan Turing

O filme tem em seu elenco Benedict Cumberbatch (Alan Turing), Keira Knightley (Joan Clarke), Mathew Goode (Hugh Alexander), Rory Kinnear (Detetive Robert Nock), Mark Strong (Stewart Menzies), Charles Dance (Comandante Denniston) e outros. Ganhador do Oscar de Melhor Roteiro Adaptado, o longa ainda concorreu nas categorias Melhor Filme, Melhor Ator, Melhor Diretor e Melhor Atriz Coadjuvante.

Estátua de Alan Turing

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escreva aqui o que você achou do Post! Por favor, respeite os princípios da boa educação! Grato!