quinta-feira, 5 de abril de 2012

O que é a Páscoa?

Por  Gilberto de Sousa Filho.


Você caro leitor, sabe o que é a Páscoa? Por um acaso você se interessa em saber a origem dela? Tudo o que fazemos, pensamos, falamos ou julgamos como normal, teve uma origem e com o passar dos séculos foi se adaptando de acordo com a sociedade das respectivas épocas. E com a Páscoa não é diferente.

Um bom constume e pesquisarmos a origem de tudo que nos rodeia, pois todos os dias do ano exercemos ritos ou atitudes de senso comum que se originaram em algum lugar.


Falando sobre o tema deste post, a Páscoa, esta data não é originalmente cristã e sim judaica. Você deve se lembrar da famosa travessia do Mar Vermelho, não é verdade? A Páscoa tem muito a ver com esta cena. Esta data surgiu como rito de celebração da saída do povo de Israel da terra do Egito, como podemos ver na Bíblia, no Livro de Êxodo, no seu capítulo 13. É o marco da libertação dos judeus que viviam em regime de escravidão e foi ordenado por Deus, segundo a Bíblia, para que esta data não fosse esquecida.


Com o passar dos séculos, a Páscoa foi incorporada ao cristianismo como celebração da morte e ressureição de Jesus Cristo, que segundo a Bíblia, morreu crucificado e ressucitou ao 3º dia, se elevando aos céus. Este evento para os cristãos (católicos e protestantes ou evangélicos) marca a passagem de toda a humanindade da condição de ímpios (criaturas pecadoras) para filhos de Deus (agora com chance de salvação), pois no Antigo Testamento, somente os povo judeu era a considerado povo de Deus ou povo salvo. Com o sacrifício de Jesus no Novo Testamento, o ritual do sacrifício do cordeiro para expiação dos pecados foi "extinto", pois Jesus se colocou na condição de sacrifício único por todos os pecadores, ou seja, por todos os seres humanos.


Já nos dias de hoje, há o sentido comercial que normalmente é incorporado às datas religiosas e outras datas criadas com esta finalidade. Atualmente é utilizada a imagem do coelho da Páscoa e dos ovos de Páscoa para atrair os consumidores às compras de chocolates em geral. Pode ser considerada uma estratégia de renovação dos estoques, pois os produtos possuem validade e precisam se renovar (em receita, design, etc). Não me surpreenderá se em alguma época futura tivermos uma pequena semelhança do Natal com a Páscoa, já que podemos ver que a tradição de não comer carne na sexta-feira santa, contribuiu para nova estratégia de criar um clima de "ceia de Páscoa", elevando também a venda de peixes como o bacalhau, vendido em grande escala no fim do ano.

Este post foi apenas um resumo. Para saber mais, navegue neste mar de conhecimento chamado de internet.

Um comentário:

Escreva aqui o que você achou do Post! Por favor, respeite os princípios da boa educação! Grato!